Notícias

Melasma tem cura?

A melasma trata-se de manchas escuras que invadem o rosto, principalmente as bochechas, testa, nariz e acima do lábio superior. Ocorre principalmente nas mulheres devido aos hormônios, tornando-se um terrível inimigo.

O crescimento e aparecimento da melasma é proporcional a concentração de hormônio feminino, então quanto maior concentração de hormônio, mais a melasma poderá de agravar. Mas quem sofre desse mal não precisa se desesperar, há tratamentos rigorosos que ajudam amenizar esse problema. É importante lembrar que mulheres que estão tomando pílula anticoncepcional ou grávidas, são as principais vítimas.

Dicas: 

  • O tratamento é feito principalmente através de uso de cremes;
  • Evite ao máximo exposição ao sol;
  • Nunca, nunca esqueça de passar protetor solar;
  • Os principais causadores e atenuantes da doença são: influência hormonal e luz solar.
Esquema sobre a  Melasma:

 

 

Vídeo: Médico fala mais um pouco sobre a Melasma

 

Sucos contra Anemia

A anemia é uma doença causada pela deficiência da produção de hemoglobina (responsável pro transportar o oxigênio dos pulmões para as células) ou na produção das hemácias.

Principais sintomas:

  • Fadiga, cansaço, moleza;
  • Sonolência;
  • Tontura;
  • Palidez;
  • Queda de cabelo;
  • Falta de memória;

O diagnóstico é realizado através de exames de sangue laboratoriais.

    Principais Sucos:

  • Suco de laranja  com couve: auxilia no combate da  anemia, pois ajuda o organismo absorver o ferro;
  • Suco de beterraba;
  • Suco de maçã;

Receita de suco de laranja, beterraba e cenoura:

  • 6 laranjas grandes
  • 1 beterraba grande
  • 1 cenoura grande
      Modo de Preparo
  1. Passar a beterraba e a cenoura na centrífuga
  2. Misturar o restante com o suco das laranjas e adoçar com mel

Receita: tudogostoso.uol.com

Batata para Gastrite

A batata oferece muitos benefícios para a saúde, inclusive é muito boa para proteger o estômago dos sintomas da gastrite. A gastrite, é uma inflamação na parede do estômago.
O que pode causar a Gastrite?

  • Bactéria: Helicobacter pylori;
  • O uso exagerado de aspirina e outros antiinflamatórios;
  • Álcool;
  • Pela ação auto-inume;
  • Outros.

Sintomas

  • Desconforto na parte superior do abdome;
  • • Desconforto e náuseas;
  • • Em caso de úlceras gástricas hemorrágicas, poderá ocorrer sangramento nas fezes.

Dicas para evitar a dor causada pela Gastrite:

  • Coma em intervalos curtos (evite ficar em jejum por muito tempo);
  • Tenha uma alimentação saudável, evitando frituras e comidas gordurosas;
  • Pela manhã, em jejum, bata no liquidificador 1 folha de couve e 1 copo de água gelada e tome.

Receita de suco com batata para Gastrite/Úlcera 

1. Liquidificar 1 batata grande (ou 2 médias) e tomar 1 copo pequeno deste “leite” 30 minutos antes do café da manhã e 30 minutos antes do jantar.

2. Gastrite: tratar por 2 semanas.

3. Úlcera: tratar por 1 mês.

(Receita extraída do site mulherdeclasse.com).

 

Fisioterapia Respiratória

Muitas pessoas não conseguem associar fisioterapia à respiração. A fisioterapia está ligada a técnicas que auxiliam no tratamento de alguma doença e/ou problema, buscando sempre a prevenção, minimização ou até mesmo a cura e a qualidade de vida.

A fisioterapia respiratória busca melhorar o transporte de oxigênio, utilizando para isso técnicas manuais ou auxílio de algum aparelho. Ajuda no tratamento de doenças, como:

  • Asma, bronquite, enfisema pulmonar, sarcoidose, pneumotórax, derrame pleural, escoliose, bronquiectasia, sarcoidose, pneumotórax, derrame pleural, escoliose, entre outras.

O tratamento pode ser feito através das seguintes técnicas: percussão, drenagem postural, vibração, manobra de reexpansão pulmonar; aerossolterapia; técnicas de eliminação de secreções; exercício aeróbio; treino de força. A fisioterapia surte muito efeito em crianças que sofrem de asma, bronquite etc.

 É importante lembrar que para o sucesso da fisioterapia no tratamento de alguma doença, deve ser feito em conjunto com o uso de medicamento prescrito pelo médico.

Como Tratar Infecção Urinária

Infecção Urinária, conhecida também como cistite atinge grande parte da população, causando muito desconforto e dor. A doença acomete principalmente as mulheres (pois a mulher possui a uretra muito curta, 3cm em média) e trata-se de uma inflamação ou infecção da bexiga e pode ser causada por vários fatores, entre eles:

  • Uso constante de jeans;
  • Uso indiscriminado de antibióticos;
  • Segurar por muito tempo o xixi.

Sintomas mais frequentes:

  • Muito ardor depois de urinar;
  • Dores;
  • Vontade repentina e frequente de ir ao banheiro urinar.

Tratamento:

O tratamento é geralmente feito com o uso de antibióticos. Para saber o melhor tratamento é necessário procurar um médico.


Trombose nas Pernas

As dores provenientes da trombose incomodam grande parte da população. A trombose é uma doença perigosa que acontece quando há a obstrução dos vasos sanguíneos por coágulos. Quando não tratada cedo pode levar o paciente a morte. A palavra trombo significa justamente, coágulo sanguíneo. Ela provoca a inflamação da veia e poderá não atingir somente as pernas e sim, se espalhar pelo corpo.

Caso você tenha alguma predisposição ou queira se prevenir, tente não sobrecarregar muito as pernas. Se tiver que ficar muito tempo sem se sentar, procure usar meias elásticas.

Sintomas mais comuns:

  • Edema e dor;
  • Endurecimento no caminho da veia sob a pele;
  • Vermelhidão e aumento da temperatura do local

Tratamentos

O tratamento vai depender do estágio da doença. Em alguns casos serão necessários o uso de anti-inflamatórios, elevação das pernas, aplicação de calor no local afetado e em casos mais graves se faz necessário o internamento do paciente.

Corrimento vaginal

O Corrimento Vaginal é algo presente na vida de muitas mulheres, mas muitas vezes, elas não sabem a causa nem o tratamento correto para o tipo de corrimento.

As causas do corrimento vaginal são inúmeras e alguns deles podem ser facilmente tratados. O corrimento vaginal, também conhecido como vaginite, é uma inflamação dos tecidos vaginais, que acabam produzindo secreção anormal, podendo surgir: odor, coceira, purido e muco. Não confundir com a produção normal de secreção vaginal, o corrimento em excesso, costuma apresentar alguma coloração: amarela, acinzentada ou esverdeada. O tratamento vai depender de cada da causa e do tipo de inflamação.

Algumas causas:

  • Relações sexuais desprotegidas;
  • O uso de roupas apertadas, ou uso de roupas, principalmente íntimas emprestadas;
  • Calcinhas apertadas;
  • O uso em excesso de protetores diários perfumados, e sabonetes íntimos.
  • Baixa imunidade imunológica;
  • Entre outras.

Alguns tipos mais frequentes:

Candidíase

A Candidíase  provoca um muco com característica da  nata de leite e  costuma causar de coceira ou irritação intensa. É causada pelo fungo Cândida.

Trichomonas Vaginalis

O Trichomonas vaginalis é adquirido através de relações sexuais ou contato com alguma pessoa contaminada.

Carne vermelha em excesso causa diabetes

Mais uma prova de que a alimentação influi diretamente na qualidade de vida. Um estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition no começo de agosto revelou que o consumo diário de carne vermelha aumenta o risco de desenvolver diabetes tipo 2.

O estudo foi conduzido pela Escola de Saúde Pública de Harvard, em Boston, e é considerado o maior estudo a respeito do tema até agora. Após analisar cerca de 300 mil pessoas por mais de 30 anos, os pesquisadores concluíram que aqueles que consumiam carne vermelha ou processada diariamente tinham maior propensão a desenvolver a doença, ainda que os pacientes tenham o mesmo peso.

Segundo dados do estudo, as carnes processadas – como salsicha, salame e mortadela – são as mais prejudiciais. Consumir 50g por dia, o equivalente a uma salsicha, basta para aumentar em 51% as chances de desenvolver diabetes tipo 2.

Os fãs de carne vermelha também devem ficar atentos. Um bife, ou 100g de carne vermelha ao dia já é suficiente para um risco 19% maior de ter a doença.

Lado positivo

A pesquisa também revelou dados otimistas. Conforme as conclusões do estudo, alimentar-se com carnes e laticínios conhecidos como “magros”, além de grãos integrais, reduz o risco de diabetes tipo 2. A proteína magra é aquela é aquela vinda das carnes brancas, queijo branco etc.

A ligação entre a carne vermelha e processada e a diabetes tipo 2 não foi bem estabelecida. Uma possível explicação seria que algumas substâncias presentes nesse tipo de alimento causam dano às células beta do pâncreas, órgão responsável para produzir a insulina no nosso corpo.

Porém, alguns especialistas afirmam que é preciso analisar o estudo com cautela, já que o que a pesquisa sugere é uma reavaliação do consumo de carne vermelha, não a eliminação desse item da dieta. É importante lembrar que a carne vermelha é uma grande fonte de ferro, fundamental para combater a anemia e outras doenças. Moderação é a chave.

Fumar aumenta chances de câncer na bexiga

Atenção mulheres fumantes! Ao que parece, o câncer de pulmão não é o único tipo de tumor cuja incidência aumenta com o tabagismo. Uma pesquisa publicada na primeira semana de agosto no Journal of the American Medical Association revela uma forte associação entre mulheres que fumam e o câncer de bexiga, uma doença que teoricamente é duas vezes mais frequente no homem.

O estudo, realizado pelo Instituto de Câncer americano (NCI), analisou dados de saúde e dieta de 450.00 pessoas entre os anos de 1995 e 2006 e demonstrou que pessoas que fumam têm quatro vezes mais chance de desenvolver um tumor na bexiga que um não-fumante.

Concluíram, ainda, que mais da metade dos casos de câncer de bexiga ocorridos em mulheres tinham relação com o hábito de fumar. Essas descobertas foram importantes, pois atualizam os dados de um estudo anterior, que relacionava o tabaco como causa de 20 a 30% dos tumores de bexiga em mulheres e estimava em três vezes apenas o risco de um fumante de desenvolver a neoplasia.

Avanços prejudiciais

Uma explicação de porque o câncer de bexiga está cada vez mais relacionado com o tabagismo seriam, segundo a pesquisa, as modificações na composição química que os cigarros sofreram nos últimos anos. Embora algumas substâncias tenham tido seu teor reduzido, como foi o caso do alcatrão e da nicotina, outras como o beta-naftilamina, agente cancerígeno que atua especialmente na bexiga.

De acordo com dados estatísticos do Instituto Nacional de Câncer (Inca), previa-se para o ano de 2009 13.110 novos casos de câncer de bexiga no Brasil. No mundo, cerca de 350.000 pessoas são diagnosticadas com essa doença a cada ano.

Câncer de tireóide: o câncer curável

Uma das principais glândulas do organismo, a tireóide é responsável por regular funções essenciais do nosso corpo, como o crescimento, digestão e especialmente o metabolismo. Mas assim como as demais partes do organismo, as células da tireóide também estão sujeitas a mutações, que quando se transformam em células malignas, podem dar origem a um tumor, o chamado câncer da tireóide.

O câncer da tireóide é uma neoplasia um tanto quanto rara e com baixo índice de mortalidade. Segundo o cirurgião de cabeça e pescoço Sergio Samir Arap, gerente médico do Centro Cirúrgico do Hospital Sírio Libanês, a chance de cura deste tipo de câncer é de quase 98%: “não existe nenhum outro tipo de câncer tão bem tratável”, afirma.

Diagnóstico do câncer

O avanço da medicina tem possibilitado diagnósticos mais precisos para casos de tumor de tireóide.  Em geral o paciente percebe um nódulo na região da tireóide, que se encontra na altura da garganta. “Mas é preciso estar atento. Nem sempre um nódulo significa um câncer na tireóide. Um nódulo pode inclusive ser sinal de bócio”, atenta o cirurgião Arap.

O diagnóstico desse tumor deve ser feito por um especialista, de preferência um endocrinologista ou um especialista em cabeça e pescoço, que submeterão o paciente a um ultrassom com estudo Doppler para analisar se o nódulo em questão é ou não maligno.

Tratamento

Ao contrário dos demais tipos de câncer, que usam a quimioterapia como principal tratamento, no caso do câncer de tireóide o mais indicado é a remoção da glândula. “A principal função da tireóide é controlar o metabolismo do corpo. Quando ela é retirada, quem faz o seu papel é o hormônio de caixinha, ou seja, o hormônio sintético. É muito mais fácil e prático retirar a glândula do que submeter o paciente ao tratamento agressivo da quimioterapia”, afirma Arap.

E para evitar a recorrência do câncer, alguns procedimentos precisam ser tomados logo após a cirurgia, como a pesquisa do corpo inteiro. “Essa pesquisa faz uma espécie de imagem do paciente, através de iodo radioativo, como uma radioterapia de dentro para fora. É usada para os casos em que o câncer tenha saído da tireóide e espalhado pela região do pescoço. Com esse método, minamos qualquer resquício de câncer”.

Novas tecnologias

Hoje são propostos outros procedimentos para a retirada da tireóide, como por endoscopia ou através de uma pequena incisão atrás da orelha. O médico Sergio Arap pondera: “o corte feito para a retirada da glândula é pequeno, cerca de 3 cm, e essas  novas técnicas ainda não se mostraram tão seguras quanto a tradicional”.


© Direitos Reservados - Clinicor - Endereço: Rua Gustavo Arthur Koehler, nº 29, Bairro das Nações, Indaial - SC - Fone 47 3333.2771